Serra Catarinense. Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

Mídia Kit diversar formas de anunciar

:: 11/09/2017 | Cultura

Salão do Livro: Carpinejar fala sobre a distância nos relacionamentos

Salão do Livro: Carpinejar fala sobre a distância nos relacionamentos

Texto:

Lages, 12/09/2017, Correio Lageano, por Vinicius Prado

 

 

O escritor e jornalista Fabricio Carpinejar abre o evento falando sobre
o resgate das relações e os novos arranjos familiares na sociedade

 

 

Com um humor incomparável e uma sensatez sem igual, o jornalista e escritor gaúcho Fabricio Carpinejar trouxe, com um pouco de acidez, a situação das atuais relações na sociedade. De simples situações cotidianas com os filhos, aos relacionamentos amorosos, Carpinejar encantou o público com sua fala, na noite de ontem, quando ministrou a palestra de abertura do 3º Salão do Livro da Serra Catarinense, que segue até o dia 17, na Praça Joca Neve, em Lages.

 


Seu mote é o humor. Aliado a sua fala de resgate das relações familiares, Carpinejar consegue mostrar o quanto as pessoas estão afastadas “tecnologicamente, virtualmente e presencialmente.” Com um tema que leva o nome de um livro seu: “Amizade também é amor”, o escritor se aproxima do público – literalmente – para colocá-los no centro dessa discussão.

 


Ele alerta: “Temos de quebrar esse olho de vidro, para chegar novamente à íris familiar.” Porque, segundo Carpinejar, todo mundo está se protegendo, está “encastelado” em sua solidão. “Então, tu está perto do outro, mas não está junto do outro.”

 


Com seus textos, fala e experiências, o escritor acredita ser possível readaptar os arranjos familiares, deixando de lado os padrões impostos e conhecidos há tempos. Além da família, Carpinejar sabe do que fala quando o assunto é machismo.

 


Para ele, não tem como falar pela mulher, tem de falar com a mulher. “Meu caminho é a elegância”, destaca. “Acho que, realmente, a educação pode ser vista como machismo”, considera, ao ver que, atualmente, nunca na vida, o cuidado com a mulher foi tão distorcido como se fosse cobrança ou controle.

 


Carpinejar também coloca no olho das relações, as questões LGBT. Observa que os pais tinham o papel de dominar ou conduzir o destino do filho, mas isso não existe mais. “Bissexualidade é natural, transexualidade é natural, a homoafetividade é natural. Ou seja, não são mais situações párias ou excludentes da família”, explica. “Tu precisa lidar com isso.” Lidar com isso, segundo ele, é combater o preconceito dentro de casa. “A gravidade e o alto índice de homicídios no caso de homossexuais e transexuais faz com que a gente tenha de ter seriedade”.

 

 

Incentivo_ O 3º Salão do Livro continua até o dia 17 de setembro com uma diversidade de temas, da educação até o jornalismo. O Instituto José Paschoal Baggio é um dos apoiadores do evento e realiza a #MaratonaLeR, para incentivar os estudantes à prática da leitura.

 

 

Programação

 

Terça-feira - 12/09

  •  8h30min- Início das atividades nos estandes
  •  9 horas – Espetáculo “Cadê meu tesouro?” com Cia Avenida Lamparina
  •  10 horas – Apresentações artísticas com a Escola de Artes
  •  10h30min- Guia de Leitura “Baú de livros” com Gelson Bini
  •  14 horas – Espetáculo “Fuxiquinhos” com a Cia Avenida Lamparina
  •  15 horas – Apresentações artísticas com a Escola de Artes
  •  15h30min – Guia de leitura “Histórias para encantar” Gelson Bini
  •  18 horas – Lançamento de livros de autores da Serra Catarinense
  •  19 horas – Debate: Clarice Lispector ao quadrado, com Simone Paulino (São Paulo) e Tânia Ramos (Florianópolis/SC). Mediação de Raul Arruda Filho (Lages/SC).
  • Um debate em torno da vida e da obra de Clarice Lispector, um dos grandes nomes da literatura mundial. Simone Paulino é jornalista, escritora, editora e mestre em Teoria e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP). É autora de “Como Clarice Lispector pode mudar sua vida” e do gift book “Minha Mãe, Meu Mundo”, com mais de 400 mil exemplares vendidos. Tânia Ramos é doutora em Literaturas de Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Professora Titular da UFSC. Atua, pesquisa e publica nas linhas de pesquisa História e Memória, escritas de si e gênero.
  •  20h30min – Término das atividades nos estandes

 

 

Foto: Vinicius Prado

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários