Serra Catarinense. Sexta-feira, 24 de Outubro de 2014
Lages Garden Shopping - Inauguração 20 de Novembro
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central de Vendas Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

CLMais Variedades

:: 03/08/2012 | Mundo

Um palácio de conto de fadas no Chile

Texto:

Chile, 03/08/2012, (EFE)

 

 

O milenar Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha,  é cheio de arte, especialmente românica e gótica, mas no meio de tanta obra prima medieval, o genial arquiteto espanhol Antonio Gaudí criou uma explosão de fantasia, um palácio que parece feito para as fadas: o palácio episcopal de Astorga.

 

 

DESTAQUES

 


- O gênio catalão projetou em Astorga um palácio de aspecto medieval, mais próximo das linhas neogóticas do que outros trabalhos seus. Mas em seu jogo inovador, incorporou formas como os capitéis de estrela e os espetaculares arcos no acesso.

 

 

- A funcionalidade é esquecida neste palácio, que se constitui em um grito de fantasia no meio do Caminho de Santiago.

 

 


- Esse domínio da luz tem seu ápice na capela do palácio, o ponto mais deslumbrante. A capela é similar a uma pequena catedral, com três absides (recinto em forma de abóbada) ao fundo.

 

 


Quase toda a obra de Antonio Gaudí, desde a Sagrada Família à casa Milá, até o parque Guell está na Catalunha. Ele projetou apenas três prédios fora de seu território natal; deles, o de maior destaque é o palácio situado em uma pequena cidade do Noroeste espanhol, fundada há dois mil anos por Augusto, o imperador de Roma.

 

 


Astorga tem um encanto. Como velha cidade episcopal - uma das primeiras sedes cristãs...




Foto:Divulgação

  • Um palácio de conto de fadas no Chile

Comentários

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha. Caso não tenha cadastro, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

  • (*) Campos obrigatórios.

Últimos Comentários