Serra Catarinense. Segunda-feira, 01 de Setembro de 2014
Lages Garden Shopping
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central de Vendas Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

Facebook CLMais | Correio Lageano

:: 06/06/2013 | Saúde

Mulheres do sul são carentes de vitamina D

Mulheres do sul são carentes de vitamina D

Texto:

Lages, 07/06/2013, Correio Lageano, por Núbia Garcia

 

 

 


A presença da vitamina no organismo está diretamente relacionada com a prevenção a osteoporose, entre outras doenças

 

 

 

A dona de casa Luiza Cascaes, de 63 anos, costuma sentar na varanda de casa ou caminhar pela manhã para pegar sol. Faz isso por pelo menos 30 minutos por dia. Luiza não sabe, mas o sol é a principal fonte de vitamina D para o organismo e quando ela se expõe diariamente ao sol, mesmo pegando os raios apenas no rosto, braços e pernas, seu corpo absorve esta vitamina.

 


 

 

Luiza conta que se expõe ao sol porque sabe que faz bem para a saúde, mesmo sem saber exatamente quais os benefícios. “Tomo cuidado pra não exagerar, pois sol demais pode fazer mal. Faço check-up todos os anos e o médico disse que minha saúde está ótima”, garante.

 

 

 


Recentemente, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia apresentou um estudo apontando que no sul do país as pessoas têm maior deficiência de vitamina D. Esta carência está ligada ao fato de que. nesta região, a temperatura é mais baixa e as pessoas pegam menos sol.

 

 


A falta desta vitamina no organismo pode causar doenças cardiovasculares, diabetes, câncer do intestino e desequilíbrio neuromuscular. O estudo apontou ainda que as mulheres com mais de 50 anos são as mais prejudicadas pela carência desta vitamina.

 

 

 

De acordo com o endocrinologista Fernando Coruja Agustini, a vitamina D tem ganhado importância na medicina nas últimas décadas. “Tradicionalmente, era relacionada ao raquitismo e se pensava que era apenas essencial para a questão óssea. Mas se perceber que a vitamina D tem importância em áreas como circulação, atividades musculares e até pode estar relacionada à prevenção de tumores”, explica.

 

 


Coruja ressalta que, mesmo com a recomposição da vitamina por dietas alimentares ou do uso de pílulas, tomar sol é fundamental. Segundo ele, mesmo que a pessoa ingira a vitamina, ela precisa ser ativada pelo organismo, e isso ocorre de duas formas: pelo sol e por processo biológico de interação entre o rim e a paratireoide (uma glândula).

 

 

 

Atenção redobrada na menopausa

 

 

 

O endocrinologista Fernando Coruja Agustiniressalta que nas mulheres que entraram na menopausa, os cuidados precisam ser redobrados e, quanto mais velha a mulher fica, mais atenção precisa tomar. A presença da vitamina D no organismo, nesta faixa etária, é fundamental para ajudar a prevenir o surgimento da osteoporose.

 

 

 

Gestantes e crianças também merecem atenção especial. Nas futuras mamães, por interferir na formação do feto e nos pequenos, justamente por causa da formação óssea.
Coruja alerta para evitar o excesso desta vitamina, o que pode ser prejudicial. Muita vitamina D no sangue, pode aumentar a quantidade de cálcio que, em excesso, pode até mesmo provocar o surgimento de pedras nos rins.

 

 

 

Acompanhamento médico e nutricional são fundamentais

 

 

Peixes como salmão, sardinha e bacalhau, ovo, fígado, leite e seus derivados são ricos em vitamina D e podem contribuir para a reposição no organismo. Entretanto, a nutricionista Mariana Rodrigues Regianini alerta que somente a alimentação não é suficiente para surtir efeitos.

 

 

 

 

Segundo ela, a vitamina D é melhor sintetizada na pele através dos raios ultra-violeta. “Os alimentos possuem vitamina D mas em baixa quantidade, por isso a principal fonte desta vitamina ainda são os raios solares”, explica Mariana.

 

 

 

A nutricionista destaca que o acompanhamento médico e nutricional são fundamentais para manter o equilíbrio desta vitamina no organismo, especialmente depois que a mulher entra na menopausa. “A vitamina D é fundamental para manter o metabolismo e equilíbrio do cálcio”, completa.

 

 

 

Recomendações

 

 

 

Se expor ao sol não significa necessariamente ficar em uma piscina ou na praia, por isso, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia recomenda banhos de banho de sol com pernas e braços expostos e sem filtro solar, de preferência antes das dez da manhã.
A medida é simples mas, de acordo com a Sociedade, bastante eficaz para aumentar a produção de vitamina D pelo organismo.

 

 

 

Fotos: Núbia Garcia

 

  • Mulheres do sul são carentes de vitamina D
    Endocrinologista, Fernando Coruja Agustini

Comentários

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha. Caso não tenha cadastro, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

  • (*) Campos obrigatórios.

Últimos Comentários