Serra Catarinense. Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014
Lages Garden Shopping - Inauguração 20 de Novembro
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central de Vendas Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

Facebook CLMais | Correio Lageano

:: 01/12/2011 | Polícia

“Tiro que matou jovem foi de longe”, diz delegado

“Tiro que matou jovem foi de longe”, diz delegado

Texto:

Lages, 02/12/2011, Correio Lageano

 


O tiro que atingiu a estudante Janifer Serpa Wolff, de 19 anos, na SC-438, próximo à Ambev, em Lages, foi disparado de longa distância. A informação é do delegado do Departamento de Investigações Criminais (DIC) da Polícia Civil, Márcio Schütz, responsável pelo caso.

 


Janifer foi morta com um tiro nas costas, com uma arma de calibre 22, no último dia (19), enquanto transitava de carona na motocicleta Honda, placa MIV-1894, de Lages, conduzida pelo namorado, Jailson Rogério de Amaral, de 19 anos. A autoria do crime ainda é um mistério, mas a polícia já tem suspeitos.

 


Na última quarta-feira, peritos de Florianópolis, especialistas em balística forense, estiveram em Lages para fazer o levantamento no local do crime. O objetivo foi coletar informações que possam elucidá-lo. As roupas que eram usadas pela jovem, bem como o projétil que foi retirado do corpo dela, foram recolhidas e levadas à capital para uma análise mais profunda.

 


Embora deixe claro que somente os laudos é que vão apontar as circunstâncias do crime, Schütz disse que, numa análise preliminar, a equipe de peritos concluiu que o tiro foi praticado à distância, provavelmente de mais de 50 metros. Essa tese foi tomada com base no orifício do projétil, na blusa da vítima.

 


Com base nisso, segundo ele, ganha força a hipótese de que a jovem foi atingida por uma bala perdida de espingarda. O delegado revelou que há relatos de que caçadores costumam frequentar a região, onde há matas e fazendas, e que a polícia já tem pelo menos dois suspeitos.

 


Pelo que foi investigado até agora, Schütz descarta qualquer possibilidade de participação do namorado da vítima, já que o exame residográfico feito nas mãos dele, não detectou nenhum resíduo de pólvora. “Isso quer dizer que, naquele dia, o namorado não usou ou manuseou armas”, reforçou.

 


Schütz acredita que, em até 30 dias, a polícia deve chegar ao autor do crime. E reforça que dois suspeitos já foram identificados e nos próximos dias serão intimados para dar esclarecimentos.

 

 

Foto: Arquivo CL

Comentários

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha. Caso não tenha cadastro, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

  • (*) Campos obrigatórios.

Últimos Comentários