Serra Catarinense. Sábado, 18 de Novembro de 2017
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

:: 05/07/2010 | Saúde

Padre Quevedo fala em Lages dos mistérios da fé

Padre Quevedo fala em Lages dos mistérios da fé

Texto:

Lages, 06/07/2010, Correio Lageano

 


O Padre Quevedo sobe hoje à noite ao palco do Teatro Marajoara, onde fala sobre “O poder da mente na cura e na doença”. Ele abre o Simpósio Qualidade de Vida e Superação de Desafios. O tema da palestra também é título de um livro do religioso, que contém um resumo de vários estudos da parapsicologia feitos ao redor do mundo.

 


Padre Quevedo se tornou conhecido no Brasil pelas polêmicas levantadas a respeito da parapsicologia e da crítica ferrenha a novas religiões e crenças populares. Sua popularidade aumentou ainda mais após a participação em programas veiculados em rede nacional de televisão.

 


Nascido na Espanha e naturalizado brasileiro, o padre jesuíta dedicou quase toda sua vida ao estudo, pesquisa e divulgação da parapsicologia, ciência que trata dos fenômenos inexplicáveis, relacionados ao ser humano. Hoje, aos 80 anos, Quevedo diz ter passado 46 escrevendo e dando cursos em todo o mundo. Esta é a segunda vez que o padre vem a Lages, a primeira foi há 12 anos.

 


Para o religioso a maioria das doenças se devem a problemas psicológicos, mesmo as orgânicas, afirma ser possível se originarem desta causa. Por isso considera muito importante o relacionamento entre profissionais e pacientes. Este fenômeno, bastante presente na atualidade, para ele tem várias explicações.

 

O ateísmo é considerada a mais forte. “O sofrimento e a doença para um ateu não tem sentido, como tem para uma pessoa de fé, que oferece isso a Deus e sabe que está colaborando com Cristo, esta, mesmo que não consiga resolver seu problema aqui, na eternidade será muito feliz”. Já o ateu, segundo ele, acredita que esta vida não tem sentido. “Essa é a causa principal de doenças deste tipo em todo mundo”, frisa.

 


Sobre o papel dos profissionais envolvidos na cura de um paciente, diz que isso depende muito do local. “Há hospitais onde o médico é como um computador não há nada humano nele. Os pacientes chegam no hospital e ficam esperando, por horas, até dias, para serem atendidos, são tratado como coisas”, fala. “Nas Santas Casas, por exemplo, são religiosas que atendem aos pacientes, escolhem-se enfermeiras mais simpáticas e alegres, isso ajuda muito e cria-se um ambiente bom.

 

Há também clínicas e consultórios particulares, com pessoas muito caridosas que atendem e dão orientações nesta parte psicológica é tão importante”, destaca.

 


De acordo com Quevedo não há grandes diferenças entre o atendimento oferecido no Brasil e o de outros países, “em todo mundo é a mesma coisa, há hospitais onde o doente é um número, e outros em que ele é uma pessoa e é muito bem atendida”, afirma.

 


Superstições e “exercício ilegal da medicina” nas igrejas

 

Padre Quevedo salienta que no Brasil, para agravar a situação das doenças que têm origem no psicológico, existem as superstições e o que chama de exercício ilegal da medicina, executado por líderes de algumas igrejas evangélicas. “Eles fazem uma falsa expulsão de demônios, ora, o demônio nunca fez nada. A única força que interfere no nosso mundo é Deus, que opera ou com milagres, ou com sua divina providência”, acredita.

 


Sobre os milagres que as igrejas afirmam realizar, e os testemunhos de seus fiéis reitera que “os falsos médicos” dizem que todas as doenças vêm dos demônios, criatura amaldiçoada por eles em suas preces.

 

Ele explica que, quando, numa igreja, a pessoa entra em transe e cai, contagia outros por uma emoção. E pode acontecer que, por causa desta emoção e pelo poder do clima do momento o organismo humano perca a dor, o que para o padre não significa a cura da doença, que pode se tornar mais grave. “Um médico pode acabar com a dor prescrevendo um analgésico, e depois procura a causa da doença. Só que os evangélicos, só atuam na dor e depois o doente, que não teve sua doença realmente descoberta, pode ter um infarto e morre muito agradecido ao curandeiro que o matou”, pontua.

 


Quando questionado sobre a grande procura pela cura de doenças em igrejas onde este tipo de fenômeno é comum, fala que a falta de Deus é a explicação. “Quem não acredita em Deus, acredita em ídolos, quem não tem fé tem superstições e como há uma campanha de ateísmo e materialismo, a fé se perde em um mundo onde o deus é o dinheiro e nada mais importa, as pessoas esquecem que somos eternos e o mundo fica. Este erro que causa muitas doenças e tira o sentido da vida, agravando as doenças”, analisa.

 


Para o religioso o ateísmo e o materialismo aumentam a cada dia e por isso existem cada vez mais doentes, mais superstições e mais seitas. “As pessoas esquecem dos conceitos passados pela única religião, a Católica”, enaltece.

 


Ainda sobre as supostas curas feitas em igrejas, afirma que hoje qualquer bobagem é considerada um milagre. “As pessoas não conhecem o verdadeiro milagre, que são enormemente superiores e inventam novas religiões”.

 

Acrescenta que os únicos fenômenos que foram considerados milagres, vistos por todas as inteligências e aceitos pela parapsicologia, aconteceram no mundo judaico antigo, cerca de três séculos antes de Cristo e que, depois do seu nascimento os milagres comprovados são somente católicos. “Qual evangélico reabilitaria um leproso, reviveria um morto ou devolveria uma perna boa a um decepado? Há milagres fantásticos, de todos os tipos e somente católicos, pois um milagre é enormemente superior a tudo isso que é mostrado hoje”, conclui.

 

 

O Simpósio Qualidade de Vida & Superação de Desafios, começa nesta terça-feira, às 19 horas. Padre Quevedo faz sua abordagem às 19h30min.

 

Nesta quarta-feira (dia 7), no mesmo horário, quem palestra é Kalil Mondadori, com o tema: “Terapias Naturais e Vida Saudável”

 


Na quarta-feira, último dia de simpósio, a palestrante será Tália Jaqui, que explana o assunto: “Qualidade de vida: o que é isso?”

 


Antes das palestras haverá espetáculos com Canto chão (Coral Sol), Causos da Serra (Matakiterani) e Danças Biriviais (Os muleteiros).

 

Os ingressos podem ser adquiridos no Teatro Marajoara, na Livraria Diocesana, na CDL e no DCE Uniplac. O custo antecipado e individual é de R$ 15. Na hora do evento o valor sobe para R$ 20. Para os três dias do evento o valor é de R$ 35.

 

Foto: Edinara Kley

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários