Serra Catarinense. Terça-feira, 03 de Maio de 2016
Anuncie Classificados Correio Lageano Festa do Pinhão 2016
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

Correio Lageano - Diversos formatos para anunciar

:: 19/11/2010 | Política

MPE de Rondônia acusa senador eleito Ivo Cassol de crime eleitoral

Texto:

Brasília, 19/11/2010, Agência Brasil

 

 

A Procuradoria Regional Eleitoral de Rondônia (PRE-RO) entrou com um pedido de investigação judicial eleitoral contra o senador eleito Ivo Cassol (PP-RO) e mais sete pessoas pela prática de crime eleitoral. Cassol é acusado de usar um evento religioso para promover sua candidatura nas eleições deste ano.

 


Segundo a PRE-RO, houve abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação durante um show evangélico da Igreja Mundial do Poder de Deus, no município Rolim de Moura, no dia 18 de setembro. O apóstolo Valdomiro Santiago solicitou às mais de 10 mil pessoas presentes no evento que votassem naqueles candidatos, dizendo que eles eram “obra de Deus” e seus amigos.

 



Além de Cassol, foram citados na ação seus suplentes Reditário Cassol e Odacir Soares; o atual governador João Aparecido Cahulla (PPS) (que foi derrotado na disputa da reeleição), e seu candidato a vice-governador Tiziu Jidalias; o candidato a deputado federal Joarez Jardim (PP) e o candidato a deputado estadual Ari Saraiva (PSDC).

 



Segundo o procurador regional Eleitoral Heitor Soares, houve uma “explícita e autêntica propaganda eleitoral feita pelo líder religioso”. No começo do período eleitoral, a procuradoria emitiu uma recomendação para que todos os segmentos religiosos não fizessem propaganda eleitoral para candidatos. Entretanto, a igreja desobedeceu e fez o evento, que foi transmitido pela televisão e pela internet.

 



A Promotoria Eleitoral da cidade acompanhou o evento e constatou que houve “desvio de finalidade religiosa para promover os candidatos”. Com isso, os promotores pediram à Justiça Eleitoral que determinasse o encerramento imediato do show e a apreensão dos equipamentos de som, mas o juiz não foi localizado e o evento prosseguiu.

 

 

Além do "showmício", o apóstolo Valdomiro Santiago participou de um programa eleitoral do governador João Aparecido Cahulla, veiculado em 21 de outubro, onde aparece pedindo apoio ao candidato. Motivo que levou a PRE-RO a pedir aplicação de multa de R$ 200 mil ao religioso.

 



Nas eleições deste ano, Cassol chegou a ter o registro negado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia por ter uma condenação judicial colegiada por abuso do poder político e econômico e por compra de votos nas eleições de 2006. Entretanto, o registro foi liberado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas vésperas das eleições. 

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários