Serra Catarinense. Sábado, 21 de Outubro de 2017
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

:: 12/10/2017 | Polícia

Secretário de Educação de Ponte Alta é condenado por furto de gado

Texto:

Florianópolis, 12/10/2017, Ministério Público de Santa Catarina

 

O vereador licenciado e atual Secretário de Educação do Município de Ponte Alta, Cleber Miranda de Souza, foi condenado, junto com mais três envolvidos, por furto qualificado de gado. É a segunda condenação criminal de Cleber em menos de um ano. Em novembro de 2016 ele foi condenado pelo crime de expôr a venda alimento impróprio para o consumo. Ambas ações são do ano de 2013.

 

Na denúncia pelo furto de gado, a Promotoria de Justiça da Comarca de Correia Pinto relata que investigações policiais apontaram que Cleber Miranda de Souza, Rivelino de Souza Gomes, Claudino Charles Mariano e José Fernando Ribeiro invadiram uma propriedade rural no interior do Município de Ponte Alta e levaram 15 quinze cabeças de gado bovino, com valor estimado de R$ 21 mil, na madrugada do dia 9 de dezembro de 2012.

 

 

Pela prática deste crime, os quatro envolvidos foram condenados a dois anos e oito meses de prisão cada um, em regime inicial aberto, pena substituída pelo pagamento individual de prestação pecuniária no valor de 10 salários-mínimos e prestação de serviços comunitários pelo mesmo período da condenação. A decisão é passível de recurso.

 

 

Na outra denúncia, cuja sentença foi proferida em novembro passado, Cleber foi condenado pelo crime de manter em depósito para fins de comercialização, em seus dois açougues e um deles administrado por seu pai, Afonso Floriani de Souza, também condenado e, mais de 1250 Kg de carnes impróprias para o consumo, por não terem indicação de procedência e estarem acondicionas em temperatura inadequada e sem embalagem.

 

 

Neste caso, Cleber e o pai foram condenados, cada um, a três anos e seis meses de detenção, em regime inicial aberto, pena também substituída pelo pagamento individual de prestação pecuniária no valor de 10 salários-mínimos e prestação de serviços comunitários pelo mesmo período da condenação. A defesa apelou da decisão e o recurso aguarda o julgamento pelo Tribunal de Justiça. 

 

 

Foto: Divulgação/ Ilustrativa

    • Secretário de Educação de Ponte Alta é condenado por furto de gado
    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários