Serra Catarinense. Sábado, 21 de Outubro de 2017
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

:: 02/10/2017 | Polícia

Agentes de trânsito poderão utilizar arma de fogo em serviço

Agentes de trânsito poderão utilizar arma de fogo em serviço

Texto:

Lages, 03/10/2017, Correio Lageano, por Vinicius Prado

 


Depois de aprovado no Senado, projeto que arma agentes segue para sanção presidencial

 

O plenário do Senado Federal aprovou o projeto de lei 152/2015, que permite a agentes de trânsito e guardas municipais a utilizarem armas de fogo. Mesmo a matéria sendo polêmica, obteve mais senadores favoráveis à medida do que contra.

 

 

Em Lages, o coordenador executivo de Segurança e Trânsito da Diretran, Jacinto Bet, é contra. “Torço para que seja vetado pelo presidente [Michel Temer]”, diz Bet. Para ele, armar civis não é uma boa alternativa, porque é necessário passar por um treinamento muito rigoroso. “Pela experiência de conflitos entre agentes e motoristas, esse armamento pode ser prejudicial”, completa.

 

 

O projeto altera o Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003) e estabelece algumas exigências para a concessão de porte de arma de fogo aos agentes de trânsito.

 


Caso seja sancionada pelo presidente, a autorização será apenas para agentes em serviço, mediante comprovação de capacidade técnica e de aptidão psicológica.
O coordenador executivo ainda lembra que, para a realidade de Lages, na sua equipe há uma maioria equilibrada para utilizar arma de fogo, porém, há uma minoria que não está preparada. “Basta um só que não tenha equilíbrio e entre em discussão, que já pode estragar tudo.”

 


CTB_ Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB-Lei 9.503/1997), “agente da autoridade de trânsito” é toda pessoa, civil ou policial militar, credenciada pela autoridade de trânsito para o exercício das atividades de fiscalização, operação, policiamento ostensivo de trânsito ou patrulhamento.

 

 

Votação teve debate entre os senadores

A sessão que aprovou o projeto, aconteceu na última quarta-feira (27/9), numa votação simbólica. Em apoio ao projeto, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) lembrou que os agentes de trânsito abordam veículos roubados e criminosos. O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou que os agentes usarão armas de pequeno calibre. Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse que a medida dará mais segurança para os agentes de trânsito.

 


Outros senadores se manifestaram contra a decisão. Lindbergh Farias (PT-RJ) disse acreditar que a medida será ruim, pois tornará os agentes mais visados e vulneráveis, o que poderá aumentar o número de conflitos. Na avaliação de Cristóvam Buarque (PPS-DF), uma pessoa armada está mais sujeita à violência do que uma desarmada. Conforme disse, 15 agentes de trânsito foram mortos no Brasil em 2016.

 

 


A sessão não registrou o número de votantes por se tratar de uma votação simbólica, na qual não há registro individual de votos. O presidente da sessão pede aos parlamentares favoráveis à matéria que permaneçam como se encontram, cabendo aos contrários manifestarem-se.

 

 

Foto: Divulgação

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários