Serra Catarinense. Sábado, 18 de Novembro de 2017
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

:: 13/07/2017 | Saúde

Farmácias populares que dão remédios serão todas fechadas pelo Governo Federal

Farmácias populares que dão remédios serão todas fechadas pelo Governo Federal

Texto:

Lages, 14/07/2017, Correio Lageano, por Susana Küster


Medida é vista como benéfica pela secretária municipal de Saúde, Odila Waldrich

 

 

O Ministério da Saúde planeja fechar, até agosto deste ano, todas as unidades do programa Farmácia Popular que ofertam medicamentos gratuitos ou com descontos de até 90%. Ao todo, 367 unidades deixarão de receber recursos do Governo Federal no país. As prefeituras poderão manter as farmácias.

 


Em Lages, a secretária de Saúde, Odila Waldrich, vê o fechamento como vantajoso, pois afirma que o fluxo de pessoas na farmácia popular era pequeno. A procura de remédios, segundo ela, recaía mais à farmácia básica do município. Os medicamentos que sobrarem da unidade que será fechada serão encaminhados para a prefeitura.

 


Segundo a secretária, as farmácias privadas devem suprir a demanda de outros medicamentos com descontos. O problema é que a quantidade de medicamentos ofertados nas farmácias particulares que possuem o selo “Aqui Tem Farmácia Popular” é menor do que aqueles da rede popular. Enquanto a Farmácia Popular abrangia 110 produtos, o “Aqui Tem Farmácia Popular” oferta 42 produtos. 

 


De acordo com o Ministério da Saúde, com o fim do repasse para as unidades próprias, a verba do Farmácia Popular, equivalente a cerca de R$ 100 milhões, passará a ser destinada a Estados e municípios para a compra de medicamentos. Apesar de ser defendido pelo governo, o fechamento das unidades tem gerado críticas de entidades que acreditam na dificuldade de acesso da população aos medicamentos. O Conselho Nacional de Saúde recomendou ao ministério que interrompesse o fechamento das unidades.

 

Susana Küster

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários