Serra Catarinense. Domingo, 28 de Agosto de 2016
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
EM CARTAZ
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

Mídia Kit diversar formas de anunciar

:: 03/11/2010 | Política

Corte mantém desaprovação das contas do DEM de Lages

Texto:

Florianópolis, 03/11/2010, TRE-SC

 

 

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) decidiu, por unanimidade, manter a sentença que desaprovou as contas do diretório do Democratas (DEM) em Lages referentes ao exercício financeiro de 2009 e reduziu, de ofício, o repasse de novas cotas do Fundo Partidário de oito para seis meses. Da decisão, publicada no Acórdão nº 25.458, cabe recurso ao Tribunal Superior Tribunal (TSE).

 

 

O diretório teve sua prestação rejeitada em primeiro grau, pelo juízo de Lages (21ª Zona Eleitoral), porque não providenciou a identificação dos doadores e contribuintes que ostentam a condição de autoridade, e, por isso, não poderiam efetuar doações, conforme o artigo 31 da Lei nº 9.096/1995.

 

 

No recurso apresentado ao TRESC, o DEM de Lages afirmou que não houve má-fé e tampouco sonegação de informações à Justiça Eleitoral. O diretório acrescentou ser desnecessária a apresentação da relação de autoridades, alegando ser inconstitucional a exigência contida na Resolução TSE nº 22.585/2007 por afastar a autonomia dos partidos de receberem contribuições de filiados para a sua manutenção.

 

 

O juiz-relator, Leopoldo Augusto Brüggemann, destacou em seu voto que, ao recusar o fornecimento de informações de eventuais doadores e contribuintes, "o partido comprometeu significativamente a confiabilidade das contas apresentadas".

 

 

"A resolução simplesmente deu a dimensão necessária à aplicação da regra do artigo 31, II, da Lei nº 9.096/1995, determinando o alcance da expressão autoridade", declarou o relator, rejeitando assim o argumento do diretório.

 

 

No que se refere ao período de suspensão do envio de cotas do Fundo Partidário, o relator reduziu-o de oito para seis meses conforme a proporcionalidade prevista no artigo 37 da Lei nº 9.906/1995, acrescido pela Lei nº 12.034/2009.

 

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários